facepixel

Carménère - A Uva Francesa que se Escondeu no Chile

A Carménère carrega uma história muito curiosa e de uma quase ressurreição no mundo das uvas e, claro, dos vinhos, principalmente dos vinhos chilenos. Este fruto de origem francesa passou por um renascimento e reapareceu do outro lado do mundo mais de um século depois. Ficou confuso? Pode deixar que eu te explico.

Estas uvas, tradicionais dos vinhedos de Medoc, na França, foram praticamente extintas do país em 1857, quando uma praga, a Filoxera, que é um pequeno inseto que  acabou com quase todos os vinhedos de lá. Isto fez com que os produtores achassem que nunca mais o vinho seria produzido na França.

Mas calma, nem tudo estava perdido! A Carménère voltaria a brilhar em vinhos, mas no Chile. Ainda que ela tenha começado sem querer (e sem saber também, viu?) e faria um retorno triunfante ao mundo dos vinhos.

A Carménère no Chile

Acontece que lá em 1800, antes da praga extinguir a Carménère na França, algumas mudinhas tinham sido levadas ao Chile. Só que lá, a espécie foi confundida com a Merlot e acabou sendo comercializada como ela.

Para os chilenos, a Carménère era uma espécie de “clone” da Merlot e isso fazia com que a colheita fosse feita da mesma forma. Acontece que a Merlot amadurece de 4 a 5 semanas antes da Camérnère e isso afetava a qualidade dos vinhos daquela época. Que confusão, hein?

Como a uva ainda estava um pouco verde, isso acentuava a pirazina, que é um composto orgânico encontrado nesta uva e também nos pimentões verdes, o que dava um gostinho muito herbáceo aos vinhos.

Na década de 1990, um viticultor chamado Jean-Michel Boursiquot, desfez a confusão na cabeça dos chilenos, que passaram a colher e produzir a uva com excelência, transformando os vinhos chilenos em referência mundial. Para se ter uma ideia, hoje, 99% dos vinhos feitos com essa variedade consumidos no Brasil, são chilenos!

Harmonizando

A Camérnère produz vinhos de corpo médio e como tem aquele saborzinho meu herbáceo que vem das uvas, acho que a pedida fica bem evidente, não é mesmo? Que tal juntar o útil ao agradável e harmonizar o seu vinho com uma comidinha leve?

Algo com um toquezinho de pimentão, como uma salada ou até mesmo uma massa ao pesto? Huum, uma massa com  um vinho feito com esta uva uniria o melhor de dos mundos, hein? E você, já tomou este vinho? Divide com a gente a sua experiência e deixe seu like!

Baixe o e-book grátis

Vinho, saber beber

* indicadores requeridos
Seu e-book está no e-mail

Compartilhe!

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on google

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Sobre Mim
Redes Sociais
LOJA
Veja os produtos
ONDE ESTOU NESTE MOMENTO
Baixar e-book gratis
VINHO, SABER BEBER
Vídeo Recente
Baixe o e-book gratis

Vinho, saber beber

* Indicadores requeridos
Redes Sociais

Visite-nos em outros lugares!